Em uma reportagem publicada neste último final de semana, pelo site “InfoMoney“, da editora Mary Anastasia O ̍Gradydo, do jornal americano Wall Street Journal, foi revelado de forma enfática que, o Governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi uma espécie de “fraude política que levou a nação a ruína”.

 

A matéria também foi direcionada à presidente petista #Dilma Rousseff, a qual encontra-se afastada de suas funções presidenciais. O título do editorial foi apresentado como: #Lula enganou o mundo’, a frase foi recebida como um balde de água fria pelos petistas, pois, diga-se de passagem, os líderes do PT aguardavam pela solidariedade internacional, afinal, segundo eles, fazem muito pelo país e agora, são vítimas de injustiças.

Resultado de imagem para lula jornal americano

 

As críticas foram abordadas pela editora de forma ampla, haja vista o momento presente, em que ocorre o evento da Olimpíadas no Rio de Janeiro (RJ). Segundo ela, o fato de não terem ocorrido incidentes violentos na abertura dos jogos foi tido como um um ‘milagre’ pelos jornais, pois, os primeiros relatos sobre a cidade carioca foram  negativos o que gerou aos estrangeiros, um certo desconforto para lidarem com a criminalidade.

 

 No mesmo contexto, a reportagem revelou ainda que a serenidade não era para acontecer, entretanto, quando o Rio venceu a disputa em 2009, ou seja, quando se classificou para receber as Olimpíadas em 2016, tudo parecia estar em plena conformidade com o nível de exigência dos coordenadores Olímpicos.
 
Resultado de imagem para lula jornal americano
 

Naquela época, o ex-presidente Lula, estava no comando há seis anos e era visto como uma espécie de “rock star”, em seu discurso pregava a elaboração de um socialismo diferenciado o que transformou ilusoriamente a opinião pública, abrindo precedentes para que o Brasil fosse a sede do evento, em 2016.

 

Pelas estatísticas estavam diante de um país atraente, ou seja, o futuro seria responsável pelo crescimento sólido da economia, conforme destacou a revista econômica “The Economist“, elegendo o Brasil como a superpotência do mundo, elencando a cidade de São Paulo como a quinta localidade mais rica em 2025.

 

Após a saída dos dois mandatos consecutivos, Lula deixou o caminho livre para petista Dilma Rousseff que assumiu o cargo da presidência.

 

As instabilidades dentro do Governo e o desentendimento político, foram suficientes para derrubar a economia brasileira, aumentando déficit orçamentário do PIB, a inflação elevada, índices de desemprego atingiram 11% da população, problemas com a gestão dos petistas, linhas de créditos dos bancos públicos foram utilizadas sem critérios, o que foi inflacionário e arriscado, entretanto, o Banco Central não deu importância, além das contratações econômicas e os escândalos de #Corrupção, sem dúvida, são agravantes que justificam a crise do país.

 

Por fim, a reportagem trouxe a imagem de Dilma e Lula como jogadores, tentando comercializar o país em que comandam. As ações são praticadas com intuito de encobrir um mercado econômico prejudicado. De certa forma, o editorial tem razão ao ressaltar com propriedade que: “Se há fraude política para levar uma nação para a ruína fosse crime”, de forma realista, conclui: “ambos já teriam sido condenados”, finalizou a reportagem.